domingo, 6 de julho de 2008

Fogo neural


E tem palhaço
De nariz de carne
Com cambalhota de aço
E papai-noel
De capuz de seda
Jogando balas de fel

Com pirulito de sangue
O coração gelado
Oh feto infame
Desse cubo quadrado
Em cimento, derrame

E tem ferrugem neurônica
De bloqueio emocional
Venda o sorriso mecânico
Rasteja o animal
De cromossomos “não-somos”
Fomentando prazer cultural

Beli

Um comentário:

Adalberto Day disse...

Parabéns pelo Blog
Pelo belo trabalho realizado.
Um abraço e sucesso
Adalberto Day cientista Social e pesquisador da história.