segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

Menina dos Olhos


Castanhos brilhos
Redondos tons.
A máquina centraliza
Funde-se ao meio humano,
Exalando ferrugem
Exaltando vertigem
Exibindo outrem.
Há alguém no espelho
Há uma menina no espelho,
Côncavo.
Mergulhada em náusea
Pensamento trôpego,
Socorro:
Água para polir o estômago.

2 comentários:

AUTOFICÇÃO disse...

O espelho, o espelho... sempre revelando mais do que somos.
Não quero olhar, pois vejo a menina, a mulher, a velha no espelho. Todos os meus eus.

Um clic, e vc expande o seu mundo, muito belo...

Ale disse...

E aí mulhé! legal saber que existe gente tão sensível quanto a gente!