quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Rascunho

A dor de um ponto de interrogação
A incerteza da vírgula mal desenhada
A incompreensão do ponto final, final. Final?

Brotou a timidez do ponto de exclamação:
Nasceram pontos, e falecidos acentos
Fomentam o cogito do corpo da escrita. Escrita!

Parágrafos, paráfrases, paradigmas.
Caracteres emudecidos na caligrafia
Dígitos imprecisos e velozes, e as vozes? Vozes.

Expressões espremidas impressas
Verbos varridos vetando vias
Amarras amargas armando palavras:

Palavras. Palavras! Palavras?

3 comentários:

taninha disse...

Que lindo, amiguinha.
Vamos mandar para publicar no Santa???
Se quiseres, eu posso mandar pro carinha lá, que eu conheço.
Bravo, bravíssimo.

AUTOFICÇÃO disse...

Ah! a paixão pela escrita... é maravilhoso sentir os traços incertos das letras tomando forma nas páginas.

Fobos disse...

Gostei bastante da sequência, me passou a sensação de um processo criativo a partir das palavras, desde o seu nascimento com as dores do parto, mas depois com as palavras se acertando no final(final mesmo?)