domingo, 9 de agosto de 2009

Dia XXX

Nada mais me é estranho.

Toda a estrada é sala
E os cantos, cozinha.
Tudo que é estranho:
Cozinha o canto lírico
Desmantela a poesia...

[Fragmentando códices
Gozando a letra que surgia
O impulso entorpecente
Que a palavra consumia]

Todo o asfalto é cama
E toda angústia, frívola.
Tudo que é estranho:
Frívola memória fria
Regurgita em poesia...





5 comentários:

Procópio disse...

pare de escrever
vc eh horrivel
e feia tbm.

(fiz um poema viu kkkkk)

wallace disse...

toda metáfora esconde sensações adormecidas. viajar sem sair do lugar. imaginar, sentir, poder ser. poesia é assim, por isso é potente. bjs e ótima semana!

Maicon Marçaneiro disse...

gostei muito desse blog!e das "escrituras" também!!

Tania Rodrigues disse...

Beliiiiiii, esse poema é seu?? Q lindooooooooooooooo!
Beijão!

Taninha disse...

Beliiiiiii, esse poema é seu?? Q lindooooooooooooooo!
Beijão!